“Queijo fresco (sem lactose) com atum enlatado”, a melhor playlist do Spotify

Não fazia ideia até ter tido a ideia de escrever este post, mas tenho conta no Spotify desde pelo menos Janeiro de 2013, que é a data do email mais antigo (do serviço) que encontro na minha caixa de correio. Só há uns meses, no entanto é que subscrevi a conta premium. Desde então, tenho aproveitado para criar algumas playlists na plataforma.

Isto não é algo exclusivo das contas pagas; estúpido seria se só os utilizadores pagantes pudessem criar listas de músicas. A verdade é que eu não utilizava assim tanto quanto isso o serviço até passar a ter conta paga e por isso não tinha dado a atenção devida às playlists. Para as lides musicais online, normalmente usava o Youtube, o Mixcloud, o Soundcloud e o Shoutcast.

Como pago, acabo por usar mais o serviço, até no carro. E uma das coisas para que eu o uso mais, porque é muito bom para isso, é para descobrir músicas novas. Algumas dessas descobertas têm sido tão agradáveis que há pouco mais de uma semana acabei por criar uma playlist dedicada a elas e a que podem aceder aqui ou ouvir no final do texto.

Não se assustem com o nome. “Queijo fresco (sem lactose) com atum enlatado” foi escolhido porque, tal como as músicas que figuram nesta playlist, também esta combinação de ingredientes (com uma pitada de coentros e sal fino, um fio de azeite e um pingo de vinagre) foi uma muito agradável surpresa.

Boas audições. E caso vos tenha dado a fome: o queijo fresco sem lactose do Lidl é muito bom.

Trying Debian Stable for everyday desktop usage

A few days ago I installed Debian Stable. I’d been using Sparky Linux, which is based on Debian Testing, and was happy with it. The tools it integrates make the life of a desktop user easier when managing the system, I had no issues with it and had a bunch of software available in the repositories.

Well, since Sparky is based on Debian, the “bunch of software available in the repositories” part was a given from the start.

Although happy, I was looking for an operating system a bit more conservative in terms of stability and reliability. I’d been inspired very recently by the short OpenBSD usage I had on a virtual machine and some readings about BSD systems, so I thought Debian Stable would be the best choice.

Here are my motives for choosing Debian over, say, CentOS or Slackware or even a BSD system:

  • It’s a Linux kernel based operating system and I’ve been mostly using Debian Testing or Debian-based systems for over a decade, so I’m familiar with it;
  • It prioritizes stability over the latest stable version of a software;
  • It has a lot of software available;
  • It has a very large community.

Almost a week went by and my fears of using older versions of any software (motivated almost exclusively by a potential lack of some functionality) are gone. The system is really stable and I have almost all the tools I need in the repositories. I only needed to install a handfull of apps from external sources (deb-multimedia, github, flatpak and snap) because they were not packaged in the distro’s repositories.