Cenas, Geekices

E o streaming o vento levou

Os serviços de streaming prometiam facilitar o acesso legal a conteúdos. Prometiam, pois claro, qual estereótipo de político. E como no estereótipo, as promessas foram levadas pelo primeiro vento que se levantou. Hoje, temos que ter n subscrições para podermos ver uma mão cheia de séries: Netflix, HBO, CBS, Youtube, Amazon

Entre estar a pagar a vários serviços para ver meia-dúzia de séries ou ir a um tracker de torrents, imaginem qual a opção que muita gente toma.

Já nem tomo em conta as limitações que os direitos de autor colocam. Por exemplo, um subscritor português da Netflix não vai ter acesso a vários conteúdos que só estão disponíveis para os subscritores norte-americanos.

Depois queixam-se…

imagem retirada daqui


Cenas, Geekices

Uma dose de likes e um garrote

Adoro adquirir conhecimento novo e, quando há algo que não percebo, dá-me gozo tentar perceber e aprender. Apesar disto, ainda hoje não consigo entender um fenómeno – paranormal, diria – que só tenho visto acontecer no Instagram. Aliás, entender até entendo, só não consigo ver uma ponta que seja de lógica nele; é que nem um bocadinho à Danoninho.

Qual a cena de partilharem fotos, seja de uma viagem ou de o raio que o parta, espaçadamente durante várias semanas ou meses no Instagram?

Um padrão que tenho notado nestas situações é o primeiro “batch” de imagem ser tipicamente o maior, seguido de mais fotos desse evento publicadas umas semanas ou meses mais tarde, com algumas até repetidas da publicação anterior. E isto pode continuar por semanas e meses… Em casos que classificaria de mais extremos, esta partilha pode durar várias semanas, com intervalos de poucos dias entre cada publicação.

A cena, parece-me, é um misto de gratificação instantânea, uma mania de querer criar uma aparência nas redes sociais que provavelmente não corresponde à realidade da pessoa e um vício.

Tirando a dopamina extra, não consigo encontrar lógica neste comportamento. Confesso até que, sempre que vejo alguém adotar este padrão, o meu cérebro crasha a tentar perceber a motivação da pessoa. Os likes são assim tão importantes?!

nota: imagem “gamada” daqui


Geekices

A few notes about Opera and Vivaldi

These are a few notes about Opera and Vivaldi web browser’s when compared to Firefox, after using both for a week.

The good

  • sleek interface (both but I became more fond of Opera in this regard)
  • functionality (both)
  • some sort of adblocker included (both)
  • integrated VPN in Opera (although I have mixed feelings about this, since it’s proprietary as far as I can tell)

The bad

  • resource usage bigger than Firefox in my system (both)
  • slower than Firefox, using default configs (both)
  • proprietary (both)

The following specs were used when testing both browsers:

System:    Kernel: 5.2.9-lqx1-1-lqx x86_64 bits: 64 Desktop: Xfce 4.14.1git-23545d Distro: Manjaro Linux 

Machine:   Type: Laptop System: LENOVO product: 80XV v: Lenovo ideapad 320-15AST

           Mobo: LENOVO model: LNVNB161216 v: SDK0J40700WIN

CPU:       Dual Core: AMD A9-9420 RADEON R5 5 COMPUTE CORES 2C+3G

Graphics:  Device-1: Advanced Micro Devices [AMD/ATI] Stoney [Radeon R2/R3/R4/R5 Graphics] driver: amdgpu v: kernel 

           Device-2: AMD Topaz XT [Radeon R7 M260/M265 / M340/M360 / M440/M445] driver: amdgpu v: kernel 

           Display: x11 server: X.Org 1.20.5 driver: amdgpu unloaded: modesetting resolution: 1366x768~60Hz 

           OpenGL: renderer: AMD STONEY (DRM 3.32.0 5.2.9-lqx1-1-lqx LLVM 8.0.1) v: 4.5 Mesa 19.1.4