geekices, software livre

As primeiras horas com Fedora 20 (ainda em Alpha)

Aviso à navegação: instalei o Fedora 20 há menos de 24 horas, como tal o que aqui escrever hoje poderá já não se aplicar amanhã. A distribuição está em fase Alpha e as atualizações são em muito maior número, para tentar corrigir todos os erros a tempo e evitar que esta seja mais uma versão com atrasos no lançamento (não pude deixar escapar esta).

Desde que tive uma chatice com o Fedora 19 e os drivers binários da NVidia disponibilizados pelo repositório RPMFusion, que estive a usar o Elementary OS Luna e tenho que admitir que foi uma experiência positiva. O interface, baseado no Gnome Shell, é muito bom e agradável de utilizar. Tem também a vantagem de ser mais um pouco mais leve, o que é bom porque o meu computador fixo já anda a necessitar de um upgrade ao processador single core que tem.

O facto do Elementary OS Luna ser baseado no Ubuntu 12.04 foi um dos factores principais na escolha. Esta versão é a atual LTS (Long Term Support) da Canonical, o que significa que à partida é mais fiável e estável. Isto não é necessariamente verdade, mas a intenção destas LTS é serem usadas em ambientes de produção porque são mais testadas. Isto é anunciado pela própria Canonical na Wiki do Ubuntu.

Apesar de ter gostado da distribuição, há algum tempo que ando curioso para testar o Gnome 3.10 devido às CSDs (Client Side Decorations), que permitem que uma aplicação faça a gestão do botão de fechar (mas mais compacto e integrado como um botão normal da própria aplicação), tarefa normalmente atribuída ao gestor de janelas. Graças a isto ganha-se mais alguns pixeis para mostrar informação, mas também torna a barra que é mostrada completamente personalizável. Foi por isso e pelo facto desta versão marcar o 10 aniversário do projeto que, entre Ubuntu 13.10 e Fedora 20, optei por instalar o segundo. Esta versão ainda está em Alpha mas, de acordo com o que li online, a estabilidade é considerável para arriscar a utilização.

Onde achei o impacto positivo desta funcionalidade mais visível foi no Files (o antigo Nautilus, o gestor de ficheiros do Gnome). Com a utilização das CSDs, a aplicação tem mais espaço para mostrar as funcionalidades de navegação de pastas e respetivas operações; o conteúdo. Isto é um pouco difícil de explicar, mas a imagem abaixo vai ajudar a perceber.

Gnome Files

Passadas 6 horas após a instalação, posso dizer que estou a gostar. Existe um ou outro bugs, ou não estivesse ainda em franco desenvolvimento e considerada instável, mas parece-me uma versão muito promissora.

Caso tencionem instalar o Fedora 20, recomendo que leiam primeiro a página de erros comuns, para saberem com que erros contar e o que podem fazer para os evitar. As notas de lançamento são um ótimo local para confirmarem quais as novidades esperadas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *