O Grande Sofá

Quando quero ouvir música, habitualmente uso o Youtube e o Spotify, com uns pós aqui e ali de SoundcloudMixcloud e curseradio (que não é mais que um cliente para o TuneIn). Só que, de vez em quando, lá ligo a VPN e acedo ao Pandora para a minha dose musical. A minha conta neste serviço ainda é do tempo em que eles não tinham restrições geográficas [talvez já tenha feito 15 anos], por isso está bastante personalizada e é uma autêntica linha temporal da evolução e mutação do meu gosto musical. Ela conta podia contar uma história.

true story

Com tantos anos, há sempre a possibilidade de surgir do nada um momento saudosista ou um figurativo murro no estômago. Ontem foi um dia em que estas duas coisas aconteceram em simultâneo, quando decidi abrir uma das playlists mais antigas que tenho no Pandora. De repente, vi-me naqueles anos entre o final da década de 1990 e o início da década de 2000, a ter o primeiro contacto com o Grande Sofá, da Antena 3, o programa de rádio que me fez gostar da Rádio.

Já não me recordo de como comecei a ouvi-lo. Provavelmente foi por mero acaso. Mas lembro-me bem de tentar nunca perder um episódio que fosse, de adorar cada música que passava e de ficar fascinado com a voz melódica do Carlos Cardoso.

Foi este programa que me introduziu ao LoungeNuJazzDub e todos os outros géneros musicais que abordava. Fiquei tão fã dos estilos e do programa que cheguei a comprar o Chill On Kaos Volume III, uma coletânea que o autor do programa lançou com a Kaos Records. Ouvi-o durante anos – cheguei mesmo a fazer uma cópia em Flac, porque o que é bom é para ouvir com qualidade – até que tive a infeliz ideia de o oferecer. Mas a verdade é que ficou em boas mãos, porque quem o recebeu também o apreciava.

Tenho muitas saudades deste programa. Depois de ter chegado ao inevitável fim, comecei a afastar-me aos poucos da rádio. Ainda ouvi o Caixa de Ritmos e o Indigente, também da Antena 3, algum tempo mas não eram a mesma coisa; faltava-lhes aquele je ne sais quoi.

Hoje, só ouço rádio quando não quero ir em silêncio em viagem e já não tenho plafond de dados ou músicas no telemóvel. As rádios nacionais vão, na sua maioria, de mal a pior. Mas pode ser que um dia alguém traga o Grande Sofá de volta. Até lá, contentemo-nos com as plataformas que nos vão permitindo acesso a música em condições*.

*por música em condições entenda-se música de que o ouvinte gosta. não deveria ser necessário fazer esta ressalva, mas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.