opinião

Organização dos Jogos Olímpicos que implementar ditadura de marcas

Na minha zona existe uma expressão que é utilizada quando alguém pensa e/ou faz algo muito estúpido, que é: “comer merda às colheres”. Não me perguntem a origem dela, porque não faço ideia; ouço-a à muitos anos, mas nunca me questionei de onde surgiu.

Nesta categoria está a organização dos Jogos Olímpicos, que, devido à sua enorme vontade em agradar os patrocinadores, poderá expulsar pessoas dos recintos se usarem, por exemplo, roupa com menções a marcas rivais daquelas que patrocinam o evento. Tentem levar uma t-shirt com Pepsi escrito e arriscam-se a ser acompanhados até à saída por um gorila de 2 metros, porque a Coca Cola patrocina o evento. Talvez tenham sorte se levarem roupa da Nike, apesar da Adidas patrocinar o evento, porque estão a pensar em abrir essa exceção.

O responsável pela organização, Sebation Coe, justifica esta medida draconiana com a proteção dos interesses dos patrocinadores que, diz, pagaram muito para fazer parte dos Jogos Olímpicos. O desporto e o público, esses, ficam para segundo plano. Não importa a liberdade que cada um tem para vestir o que quer sem atropelar a liberdade dos outros; é mais importante proteger os investimentos dos patrocinadores, nem que para isso se tenha que ressuscitar a Gestapo para fazer a filtragem das pessoas à entrada.

Esta não é a única medida idiota a sair das cabeças dos responsáveis pelos Jogos Olímpicos. O Daily Record tem um apanhado da estupidez que grassa por Inglaterra nestes dias.

3 thoughts on “Organização dos Jogos Olímpicos que implementar ditadura de marcas

  1. Fernando Silva says:

    Só me resta acrescentar: que o desporto faça os Jogos sem patrocinadores e que o público boicote o evento.
    Como se costuma dizer: quem está mal muda-se. Mas talvez nem o desporto nem o público estejam assim tão mal…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *