Cenas

Fibromialgia e sono – a minha má experiência

fibromialgia e sono

Desde que comecei a ter sintomas de fibromialgia, já lá vão uns 9 meses, comecei também a ter dificuldades em dormir. Inicialmente pensei que fosse das dores, já que me acontece o mesmo quando tenho crises fortes da síndrome de cólon irritável. Os médicos diziam o mesmo: é das dores.

Passaram-se vários meses e os problemas do sono persistiram. As dores também. Entretanto descobri, por via de um colega de trabalho, uma loja próxima de mim que vende produtos à base de CBD e tornei-me cliente. As dores ficaram controladas, mas as dificuldades em dormir mantiveram-se.

Em média, numa semana boa consigo dormir em 4 dos 7 dias, mas dificilmente consigo dormir mais de 4 horas; se for uma semana má, durmo até 2 dos 7 dias e também dificilmente passo das 4 horas de sono. A dada altura, o cansaço é tanto que há um dia em que apago durante 8 a 9 horas, mas não mais do que isso.

Este acumular de falta de sono fez com que, a dada altura, tivesse alucinações. Não foi agradável.

Em Janeiro, comecei a tomar medicação para conseguir dormir e/ou antidepressivos para o mesmo efeito. Desde então já experimentei uma série de medicamentos diferentes e sofri bem os efeitos secundários deles.

A maioria da medicação que já experimentei tem um impacto forte na minha síndrome de cólon irritável e força-me a abandoná-la. Houve uma, no entanto, que me deixou bastante zonzo e me acelerou o batimento cardíaco ao ponto de ficar com dores no peito e dificuldades em respirar durante algumas horas. Cheguei a pensar que estava a ter um enfarte, até ver os efeitos secundários da medicação. Esta medicação, curiosamente, para alguns efeitos secundários tinha outros opostos. Por exemplo, tanto acelera como diminui o batimento cardíaco.

Isto deixa-me numa situação tramada: ou tomo os comprimidos e fico todo lixado por causa dos efeitos secundários, mas durmo; ou não os tomo e durmo muito pouco ou nada, mas também não sofro os efeitos secundários. Qualquer uma das escolhas faz com que tenha de meter baixa médica de vez em quando, quando já estou no limite e não aguento mais.

Entretanto, pedi acompanhamento em consulta de psiquiatria, na especialidade de psiquiatria do sono, pelo SNS. Estou a aguardar pela convocatória para a primeira consulta. Espero que demore menos que a convocatória para a consulta de reumatologia, se não estou bem lixado.

O continuar dos problemas com o sono fez-me pesquisar, durante as muitas noites sem dormir, algumas publicações sobre fibromialgia. Tendo em conta o que li, isto é algo que pode acontecer a quem sofre desta doença, mesmo quando não anda com dores. O futuro não parece agradável e risonho.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.