Cenas

[Atualizado] TV é uma FESTa com o dinheiro dos outros

Atualização: cancelaram o TV Fest

Primeiro, peço imensa desculpa pelo título populista, mas fez-me rir. Já me disseram que eu só gosto de humor parvo. Confirmo que é verdade. 😉

Segundo, que raio de disparate é este do Ministério da Cultura? Vão pagar um milhão de euros, numa parceria com a RTP a que chamaram TV Fest, para o canal exibir, durante um mês, hora e meia de atuações de artistas portugueses. Neste programa, os artistas que atuam num dia nomeiam os artistas do próximo, de acordo com o que é noticiado n’O Público.

Vejo nisto alguns problemas.

O primeiro é que o dinheiro faz mais falta no investimento de material para as unidades e profissionais de saúde públicas. Estamos com uma pandemia e tal…

O segundo é que já temos o Youtube, Spotify, Deezer, Apple Music e tantos outros para ouvir música; o Youtube até deixa ver concertos e fazer a transmissão ao vivo. Mind blowing, não é?

O terceiro é que vários artistas já estavam a dar concertos ao vivo no Instagram. Mas aqui não ganhavam dinheiro, não é…!?

O quarto é que, ao serem os artistas a nomear quem atua no programa seguinte, provavelmente vamos ver os do costume, para não falar do risco potencial de artistas ligados a uma editora só nomearem artistas ligados à mesma editora. Tudo bem que os técnicos e restante staff que acompanha os músicos também está abrangido. E os pequenos artistas, como as bandas dos bailaricos, quem os apoia? O ganha pão destes últimos está em risco porque não deverá haver festas tão depressa.

Não interpretem isto como estar contra o apoio às artes. Nada disso. Acho bem que se apoiem, até porque vários profissionais da área são trabalhadores independentes. Mas esta ideia do Ministério da Cultura parece ser deitar dinheiro fora. E se é para isso, eu aceito-o de bom grado. Como sou educado, até digo obrigado.


6 thoughts on “[Atualizado] TV é uma FESTa com o dinheiro dos outros

  1. E aquelas pessoas sem acesso à internet e sem conhecimento para ver concertos online? Sim ainda existe muita gente sem internet…

    1. Há um número significativo de pessoas sem acesso à internet, é verdade. Mas isto não parece pensado em quem vai ver os concertos na TV ou no RTP Play, parece sim pensado nos artistas que vão participar. Os outros, que são em número bem maior, (não querendo parecer a Micaela) chupam no dedo.

  2. O dinheiro destinado a este projecto é dinheiro do orçamento do ministério da cultura. Não é que se esteja a tirar dinheiro de outro sítio para esta iniciativa. Não acho particularmente interessante a iniciativa mas é tendencioso estar a sugerir que o dinheiro faz mais falta em material médico e tal. Num momento em que o sustento dos artistas (na sua maioria de espetáculos ao vivo) de toda a indústria está proibido uma iniciativa destas é uma gota no oceano na tentativa de evitar a catástrofe que seria deixar todo este grupo de trabalhadores independentes sem qualquer apoio. E acaba por ser um apoio em troca do trabalho deles. Não me parece tão errado assim. O modelo da iniciativa talvez não seja o mais interessante.

    1. É verdade, faz parte do orçamento do ministério da cultura. Mas parece-me que a compra de material para ajudar a combater a pandemia é mais prioritária, já que estão pessoas a morrer.

      E atenção que não digo que não se deva apoiar a cultura. A forma como o estão a fazer é que é parva porque estão a excluir imensos artistas disto, artistas esses que também estão a ser afetados. Na prática, estão a ajudar um grupo muito pequeno, quando há muitos mais que ficam de mãos a abanar. Se é assim, mais vale investir esse dinheiro em material médico. Prioridades.

      1. Parece me a decisão mais acertada de cancelarem o festival e arranjar maneira de o dinheiro chegar de uma maneira mais equilibrada e democrática às pessoas. Continuo a discordar e achar tendencioso e errado pensar que o dinheiro destinado à cultura devia ser gasto em eq médico porque tal como outras indústrias a indústria cultural (muito precária) precisa de apoios para sobreviver. Se ao já de si pequeno orçamento da cultural ainda retiram mais vai definhar. E a cultura é essencial a um país e a um povo.

        1. Eu vou reformular: o dinheiro para o TV Fest, nos moldes do programa, era bem melhor aplicado no combate à COVID-19. Quando escrevi isto, já passava da meia-noite e estava há quase 2 dias completos sem conseguir dormir, por isso a ideia não saiu da melhor forma. Mas fica aqui o esclarecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.